Publicidade

domingo, 2 de março de 2014 Cinema, Oscar | 16:30

15 declínios de carreira depois de vencer o Oscar!

Compartilhe: Twitter

logo

Vencer o Oscar é um sonho! Ou pesadelo? Sempre ficamos felizes (dependendo do ator ou atriz) quando um artista ganha um Oscar de atuação, e normalmente criamos altas expectativas em torno dos novos filmes que serão  deslanchados a partir da vitória. A ascensão da carreira!

Mas nem sempre é assim… Dependendo do ator, a estatueta pode se tornar um grande problema. Ao ganhar uma categoria como “o Melhor”, o próprio vencedor pode criar dificuldades em aceitar novos papéis que não estão à altura da fase atual, ou nenhum novo papel consegue chegar perto daquele que deu a famosa estatueta. Isso são apenas especulações que vieram à mente neste instante, dá para criar muitas teorias sobre isso.

A verdade é que para alguns a vitória do Oscar se tornou uma maldição que não acaba. Por isso, escolhemos 15 famosos casos de declínios de carreira logo após a vitória do Oscar. Confira!

v1

Ruehl havia feito alguns pequenos papéis no cinema, como “De Caso com a Máfia”, “Quero Ser Grande” e “Uma Banda do Barulho”. Em 1991, ela ganhou o Tony Award (o Oscar do Teatro) por “Lost in Yonkers”, que foi ao mesmo tempo quando surgiu o papel de sua vida cinematográfica em “O Pescador de Ilusões”. Ela venceu grandes prêmios como o Globo de Ouro e o LAFCA Award; o Oscar veio para coroar o seu grande momento. Havia uma expectativa pelos novos papéis da atriz, que acabou por fazer poucos longas até sumir do cinema. Nos anos seguintes, a sua carreira se resumiu  em filmes para TV, seriados e algumas peças de teatro.

v2

Abraham fez uma atuação espetacular e inesquecível como o compositor Antonio Salieri, e foi mais do que merecido o seu Oscar de Melhor Ator por “Amadeus”. A pergunta que se fez depois: “Quais serão os seus próximos grandes filmes?”. A resposta: infelizmente, nenhum. O ator entrou em um espiral sem fim de papéis ruins e desacreditados pela crítica. Atualmente, ele continua a fazer participações em longas, filmes para TV e seriados. O último longa que ele obteve alguma atenção do público foi com o terror “13 Fantasmas”, em 2001. Abraham também esteve recentemente em “Inside Llewyn Davis – Balada de Um Homem Comum”.

v3

Por essa ninguém esperava, não é?!  Zellweger vinha fazendo uma carreira excelente no cinema que começou a se destacar com “Jerry Maguire: A Grande Virada”. A partir do século 21, ela teve uma experiência incrível com o Oscar e obteve três indicações seguidas: “O Diário de Bridget Jones” (Melhor Atriz – 2002) – que a levou ao estrelato mundial, “Chicago” (Melhor Atriz – 2003) – que reafirmou o seu talento diversificado como atriz, e “Cold Mountain” – do qual, finalmente, a Academia a premiou como Melhor Atriz Coadjuvante. A expectativa era de que ela voltaria novamente ao Oscar para conseguir a sua estatueta de Melhor Atriz. Contudo, Renée seguiu uma sequência de filmes nada bons, um dos seus projetos mais recentes foi com o terror “Caso 39”, em 2009. No momento, não há nenhum filme em que ela esteja envolvida em pré-produção – um intervalo de quase 4 anos sem aparecer no cinema. Há uma torcida para que o seu grande retorno seja com a adaptação do terceiro livro sobre “Bridget Jones” – que por enquanto está estacionado.

v4

O belo jovem Hutton começou muito bem a sua vida cinematográfica com “Gente como a Gente”, onde interpretava o conflituoso Conrad, que chamou a atenção da Academia e o premiou como Melhor Ator Coadjuvante – tirando a estatueta de nomes conhecidos como Joe Pesci e Jason Robards. A vitória de Hutton era o suspiro da novidade que os votantes queriam mostrar, jovem e talentoso, a promessa do cinema nos próximos anos. Só ficou na promessa, Hutton seguiu em filmes pouco chamativos, e foi para TV em que se atrelou a filmes especiais e seriados. Nos últimos anos, o ator tem sido visto fazendo pequenas participações em variados longas.

v5

A descoberta de Woody Allen trouxe a “desconhecida” Mira para os holofotes da noite para o dia com “Poderosa Afrodite”. A atriz era a aposta de Allen, que foi aprovada pela Academia dando o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. Passou-se um tempo e as pessoas começaram a esquecer dela e questionar o seu desaparecimento. Na verdade, Mira nunca se afastou do cinema, de 1996 até 2013, o seu nome esteve relacionado com pelo menos um longa a cada ano, e quando não lançava um filme estava na TV (em filmes especiais ou participações em seriados). O grande problema é que seus projetos (após a estatueta) não conseguiram criar a mesma atenção de 1996. Para quem está com saudades dela, Mira tem três filmes que ainda serão lançados em 2014.

v6

Há pessoas que não acreditam que Nicolas Cage já ganhou um Oscar. Sim, ele já ganhou. E naquele ano, ele ainda concorria com nomes de peso como Richard Dreyfuss, Anthony Hopkins e Sean Penn. Podemos dizer que a influência de sua vitória no Oscar para uma carreira em declínio teve um certo efeito retardado.  Os filmes que vieram depois alternavam entre bons e ruins, o declínio só se concretizou depois de sua segunda indicação ao Oscar por “Adaptação”, em 2003. Aí sim, a sequência de filmes que vieram é que criaram a sua fama atual – a de um ator caricato e ruim. Mesmo depois de tantos anos, Nicolas continua trabalhando a todo vapor – em 2014, há três filmes para serem lançados e ainda está filmando um para 2015!

v7

Louise criou uma das vilãs mais inesquecíveis para o cinema com a enfermeira Ratched em “Um Estranho no Ninho”, assim a sua atuação foi agraciada com a vitória de Melhor Atriz. Além disso, ela deu um dos discursos mais emocionantes feitos em uma cerimônia do Oscar. Louise estava com tudo em 1976. E qual foi próximo filme da atriz? “O Exorcista II – O Herege”. Hã?! A sequência do famoso “O Exorcista” que recebeu péssimas críticas, Louise se viu literalmente do céu ao inferno num intervalo de apenas um ano. Os próximos longas também não ajudaram a levantar a sua moral, apesar do contínuo declínio ela manteve-se trabalhando arduamente ano após ano – em filmes ou na TV, que se tornou crescente em seu currículo. Em 2013, Louise participou do longa “A Perfect Man”, aos 79 anos.

v8

“Show me the money!”, “Show me the money!” – essa foi uma das frases mais ditas em 1997 e que entrou como uma das memoráveis na história do cinema. A frase dita por Cuba Gooding Jr. em “Jerry Maguire: A Grande Virada” é um dos momentos mais famosos do longa, o ator que teve um alto destaque na trama conseguiu vencer como Melhor Ator Coadjuvante do Oscar. A simpatia e naturalidade do ator davam muita expectativa de como seriam os seus próximos projetos. Apesar de participar de longas como “Melhor É Impossível” e “Homens de Honra”, Cuba caiu na preocupante teia dos filmes clichês e comédias infames. Em 2014, o ator terá a estreia de um novo filme.

v9

E se o seu declínio só começasse no segundo Oscar? Esse foi o caso de Luise, que foi a primeira artista a ganhar dois Oscars consecutivos na história da Academia em um papel de protagonista. Naquela época, quando ela recebeu a sua nova estatueta, os comentários eram de que a sua carreira estava praticamente terminada. Lá em 1938 já se falava de uma maldição entre os vencedores do Oscar. A verdade é que as duas vitórias da atriz alemã nunca desceram muito bem para muitos americanos, e alguns revelavam a antipatia que sentiam por ela. Não sabemos se é realmente uma maldição, mas que a carreira dela despencou de um minuto para o outro é verdade. Luise trabalhou por mais alguns anos até declarar aposentadoria na profissão – apesar de participar posteriormente em seriados e fazer pontas em filmes. “O Oscar não é uma maldição”, ela disse uma vez. “A maldição é que quando você tem um Oscar, eles acham que você pode fazer qualquer coisa. Eles dão-lhe roteiros ruins que são difíceis de atuar”. De qualquer forma, Luise completou 104 anos em janeiro, e é a artista viva mais velha vencedora de um Oscar.

v10

Nossa! Esse é um vencedor que a Academia apostou altamente. Primeiramente, ele concorria na categoria com nomes de grande prestígio: Jack Nicholson, Nicolas Cage, Daniel Day-Lewis e Michael Caine – todos vencedores anteriores do Oscar. Alguns comentam que isso pode ter sido o fator dominante nos votos da Academia, que queriam sangue novo no momento. Ele foi um vencedor que muitos esperavam para ver nos próximos passos. Estranhamente, Adrien participou de filmes bons, mas os papéis escolhidos eram bem pequenos ou não mostravam nenhum grande desafio. Atualmente, Brody é mais visto como ator coadjuvante. Este ano, ele lançará quatro filmes e estreia novamente na TV depois de ganhar uma estatueta.

V11

Mo’Nique fez uma bela atuação com uma odiosa mãe abusiva em “Preciosa”, ela arrebatou quase todas as premiações e conseguiu o tão desejoso Oscar. Depois disso… cadê Mo’Nique? Ela anunciou aposentadoria da carreira de atriz e revelou que seguiria como apresentadora de talk show. A decisão que parecia ser acertada para ela naquela época, não foi uma das melhores escolhas – o seu programa foi cancelado em 2012. Mo’Nique voltou atrás e saiu de sua aposentadoria, ela lançará este ano um novo longa. Será que ela consegue sair dessa maré de maldição do Oscar?

V12

Louis fez um grande sucesso como o Sargento Emil Foley em “A Força do Destino”, um dos papéis mais falados em 1982/1983, o que lhe rendeu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Depois da vitória, ele redirecionou a sua carreira para TV (seriados e filmes especiais) e algumas participações em longas. Ele nunca mais conseguiu o mesmo destaque do passado, e seu nome foi se tornando mais desconhecido para as gerações posteriores. Atualmente, ele está atrelado com sete filmes que estreiam em 2014, e um, em 2015.

V13

Tatum ganhou o seu Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, aos 10 anos, e tornou-se a mais jovem da história da premiação a ganhar uma estatueta competitiva. Há quem ache que Linda Blair deveria ter ganho em seu lugar por “O Exorcista”. Disputas à parte, Tatum era uma pequena e fofa criança que tinha um futuro maravilhoso no cinema. Será? A atriz-mirim teve dificuldades de ultrapassar a fase da infância para adolescência no cinema. Esse é um período em que muitos atores-mirins se perdem e terminam a carreira, e Tatum foi uma das vítimas. Ela acabou fazendo participações em seriados de TV e pontas cada vez menores no cinema. Uma vez Tatum disse que ganhar um Oscar quando criança não significa nada quando se tem 30 anos. Para 2014 e 2015, ela tem novos filmes que serão lançados.

V14

A bela Basinger demorou quase 20 anos de carreira para conseguir a sua primeira indicação ao Oscar. Depois de fazer variadas comédias e romances, a atriz achou o papel de sua vida em “Los Angeles – Cidade Proibida”. No ano em que concorria, ela disputava com a lendária Gloria Stuart por “Titanic”. No final, Kim venceu e levou a estatueta. Mas parece que a vitória não deu tanta sorte para os próximos papéis, e ela fez longas em que esteve tão apagada que a crítica não acreditava que era uma recente vencedora do Oscar. Basinger obteve um declínio não esperado por muita gente. Atualmente, a atriz tem dois filmes que ainda estrearão em 2014.

V15

Podemos dizer que essa foi uma das maiores decepções da Academia e dos americanos? Sim, podemos. O italiano Benigni surgiu da noite para o dia como uma das maiores sensações do cinema em 1998/1999, e isso se deu pela simpatia e naturalidade do ator/diretor. O longa “A Vida é Bela” dirigido e atuado por ele, recebeu 7 indicações: Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Filme – um feito extraordinário;  Melhor Edição, Melhor Roteiro Original, Melhor Trilha Sonora, Melhor Diretor e Melhor Ator. Esse ano, os brasileiros também não se esquecem, pois “Central do Brasil” concorria na mesma categoria de Melhor Filme Estrangeiro – e Atriz (Fernanda Montenegro). No final, “A Vida é Bela” venceu como Filme Estrangeiro, Trilha e Ator. Benigni ganhou a estatueta e tirou de nomes como: Tom Hanks, Ian McKellen, Nick Nolte e Edward Norton. A festa que foi feita quando ele ganhou os Oscars foi repercussão mundial, a alegria dele contagiou todos da plateia. Havia tanta expectativa com sua vitória que ele foi comparado com grandes diretores italianos, muitos esperavam pelos próximos projetos. Mas… nos anos seguintes, ele acabou por diminuir drasticamente a quantidade  trabalhos como diretor e ator, e os poucos filmes lançados não atraíram o mesmo público e atenção da crítica. Ele acabou por “desaparecer” do cinema. A última aparição de Benigni foi em “Para Roma, com Amor”, em 2012.

 

Autor: Tags:

4 comentários | Comentar

  1. 54 Helen Sinclair 25/03/2014 8:11

    O declínio mais assustador realmente foi o da Renée, que era uma super estrela em ascensão, e depois do Oscar, nunca mais foi a mesma atriz cheia de carisma que se viu no fantástico “Chicago”, por exemplo, uma tristeza! E sim, esqueceram da Halle Barry! Infelizmente ela é uma competentíssima atriz que nasceu negra e escolheu a profissão mais difícil para os negros no mundo inteiro. “A Última Ceia” é impecável em todos os sentidos, mas é ela quem realmente ilumina a tela todo o tempo, um dos meus filmes favoritos. E infelizmente, é o que muito provavelmente vai acontecer com a Lupita Nyong’o também. E sobre a Luise Rainer, ela não sofreu da maldição pós Oscar, ela foi vítima de um boicote dos executivos do estúdio que a mantiveram presa ao contrato, sem no entanto, dar-lhes trabalho, em represália ao seu espírito livre e contestador. Isto é público e notório, exatamente como contou o Celso Claro.
    Boas férias à toda equipe!

  2. 53 Juliana Leão 06/03/2014 21:33

    Ainda me pergunto o que aconteceu com o Nicolas Cage.
    O cara foi tão excelente em Despedida em Las Vegas e tem outros filmes muito bons e hoje jogou a carreira dele fora.
    É uma pena.

  3. 52 Celso Claro 02/03/2014 18:31

    Oi pessoal. Curti muito essa matéria. A melhor do especial do Oscar até agora. Só pra complementar: sobre a Luise Rainer.
    Rainer foi uma grande aposta da MGM nos anos 1930 após fazer sucesso na Europa. Trazida aos EUA, tornou-se protegida do produtor Irving Thalberg, que lhe deu os dois papéis que lhe renderam os prêmios. Contudo, Rainer desprezava o Star System hollywoodiano. Ela acreditava que os atores deveriam ser reconhecidos por seus trabalhos e julgava desnecessária a atenção exagerada da mídia à vida dos artistas. Ela também não gostou de receber seus Oscars. Salvo engano, nas duas indicações, os executivos da MGM tiveram que praticamente arrancá-la de casa para levá-la a cerimônia. Em uma delas, a atriz usou um vestido que pareciam calças e muitas pessoas a criticaram pois ela “não estava vestida de acordo com a ocasião”. Rainer posteriormente revelou que era um tormento ter que dar entrevistas sobre o Oscar e que não entendi o motivo de fazerem tanta balbúrdia sobre o prêmio. O chefão da MGM, Louis B. Mayer se irritava com esse comportamento e aproveitou a morte prematura de Thalberg em 1936 para garantir com que os papéis seguintes da atriz fossem em filmes menores e de pouca divulgação. Ela não protestou, pois estava cansada de Hollywood. Após a Segunda Guerra Mundial, ela voltou para a Europa e à carreira teatral.
    Obrigado pelo espaço para comentários.

  4. 51 Jefferson Borges 02/03/2014 18:10

    Ei pessoal do CETI, vocês esqueceram da Halle Berry!

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.