Publicidade

segunda-feira, 19 de maio de 2014 Cannes 2013, Cinema | 20:00

Festival de Cannes 2014 – Dia 6: “Foxcatcher” é considerado soberbo e torna-se o primeiro candidato sólido para o Oscar 2015! E “Map to the Stars” pode aproximar Julianne Moore de sua primeira estatueta!

Compartilhe: Twitter

cannes

France Cannes Foxcatcher Photo Call

Hoje, Cannes foi um prato cheio para aqueles que gostam de prever os fortes candidatos para o Oscar do ano seguinte. Podemos dizer – que no momento – “Foxcatcher” ao estrear no festival é o primeiro candidato sólido (aparentemente) confirmado em uma corrida duradora para o Oscar 2015.

O filme é dirigido pelo famoso Bennett Miller e tem o trio Channing Tatum, Steve Carell e Mark Ruffalo como personagens centrais da trama. A produção conta a história real de quando o vencedor da medalha de ouro olímpico Mark Schultz (Tatum) é convidado pelo rico herdeiro John du Pont (Carell) a vir morar na sua magnífica propriedade familiar para o ajudar a criar um campo de treino topo de gama, na óptica dos JO de Seul de 1988, Schultz agarra logo a oportunidade: espera poder concentrar toda a sua atenção no seu treino e não sofrer mais por ser constantemente chateado pelo seu irmão, Dave (Ruffalo). Obcecado pelas obscuras necessidades, du Pont entende aproveitar o seu apoio a Schultz e da sua oportunidade em ‘dirigir’ lutadores com fama mundial para obter – afinal – o respeito dos seus pares e, especialmente, da mãe que o julga muito severamente. Lisonjeado por ser objeto de tanta atenção por parte de du Pont, e ofuscado pela opulência do seu mundo, Mark vê no seu benfeitor um pai de substituição, de que procura constantemente a aprovação. Se primeiro mostra-se estimulador, du Pont, muda de atitude e leva Mark a adoptar hábitos pouco saudáveis que podem comprometer o seu treino. O comportamento excêntrico do bilionário e o gosto pela manipulação não tarda a nada a diminuir a confiança em sim próprio do desportista, já frágil. Entretanto, du Pont interessa cada vez mais por Dave, que demonstra uma segurança que não tem. Aliás, Mark tem realmente consciência de que se trata de uma qualidade que mesmo a sua riqueza não pode comprar. Entre a paranoia crescente de du Pont e o seu afastamento dos dois irmãos, os três homens parecem precipitar-se para um fim trágico que ninguém poderia prever.

Bennett Miller e a sua equipe falaram aos jornalistas sobre o longa em Competição.

Bennett Miller sobre a sua abordagem temática: Quando comecei a ter conhecimento dessa história, sabia que havia temas que vão muito além, algo que nos reenvia a nós próprios e ao nosso país. Não é um filme político, é um filme que tenta compreender algumas dinâmicas como o declínio. Utilizámos um microscópio para observar o interior dessa história. Podemos compreender o universo usando um telescópio, mas também por vezes utilizando um microscópio.”

 Channing Tatum sobre o seu papel:A preparação foi intensa. Praticamos luta durante seis meses antes da filmagem. O Mark Schultz foi meu treinador para a luta. Sentia-me feliz com a sua presença na filmagem mas também estava apavorado”.

Mark Ruffalo quanto à preparação do seu papel:Exploramos as personagens com as pessoas que viveram essa história. Fomos um pouco como jornalistas que procuravam factos para perceber.”

Steve Carell sobre o filme:O filme era exatamente o que Bennett havia descrito no início. Por vezes seguimos caminhos desviados, mas reflete exatamente o argumento.”

O ator acrescenta quanto à sua abordagem do papel:Abordei este papel trágico da mesma maneira que para uma comédia porque as personagens nunca têm consciência de estarem numa comédia ou numa tragédia. Abordei este filme como uma história.”

A recepção não poderia ser melhor! As reações foram extremamente positivas. Confira, abaixo:

THR:Hipnotizante em sua estratificação incremental de um bizarro, trágico e completamente deformado estudo de personagem, Foxcatcher mostra o diretor Bennett Miller superando até mesmo o excelente trabalho que ele fez em seus dois filmes anteriores, ‘Capote’ e ‘O Homem que Mudou o Jogo”.

Variety:Steve Carell, Mark Ruffalo e Channing Tatum dão performances soberbas em uma poderosa perturbadora verdadeira saga sobre crime de Bennett Miller”.

The Telegraph deu cinco estrelas: “Miller sempre foi intrigado com dramas baseados na verdade, e ‘Capote’ e ‘O Homem que Mudou o Jogos’ foram ambos amplamente reconhecidos como ótimos filmes, impecavelmente trabalhados. Mas Foxcatcher é algo escuro e delirante, ainda rigidamente controlado: um filme a ser considerado ao lado ‘A Rede Social’ de David Fincher  e ‘O Mestre’ de Paul Thomas Anderson em uma circular, parábola negra da América moderna”.

The Guardian deu cinco estrelas: “É um trio de performances maravilhosas. O Mark de Channing Tatum é vulnerável e triste; O Dave de Mark Ruffalo é inteligente e profissional (…). E DuPont de Steve Carell é um monstro convincente – mas um monstro que não inspira medo, mas pena. ‘Foxcatcher’ – É um filme emocionante: horrível, assustador e desesperadamente triste”.

USA Today:O Oscar ainda está longe em oito meses, mas o pontapé inicial não-oficial para temporada de premiações aconteceu nesta segunda-feira, em Cannes”.

Total Film: “Steve Carell e Channing Tatum chamarão a atenção da Academia…”.

O longa era pra ter sido lançado ano passado, mas foi adiado. Realmente, a Sony Pictures Classics estava certa em sua decisão. “Foxcatcher” iria ser sufocado na corrida do Oscar 2014 com a temática de “12 Anos de Escravidão”, os efeitos especiais de “Gravidade” e as estelas de “Trapaça”. Dessa forma, “Foxcatcher” pode ver um horizonte mais aberto para corrida pela estatueta do ano que vem.

E de acordo com as previsões atuais, “Foxcatcher” tem forças para aparecer nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor (Miller), Melhor Roteiro, Melhor Ator (Carell) e Melhor Ator Coadjuvante (para Tatum e Ruffallo). O longa ainda tem muito chão para percorrer se quiser chegar nessas categorias, mas não será difícil se o ânimo persistir até o fim do ano.

“Foxcatcher” estreia em 14 de novembro nos cinemas americanos, e ainda sem data para cá.

France Cannes Maps to the Stars Photo Call

Enquanto que o filme de Miller é um candidato por completo para o Oscar 2015, parece que “Maps to the Stars” recebeu um destaque mais específico na atuação de Julianne Moore. Será que dessa vez vem Oscar?

O filme dirigido por David Cronenberg se passa em Hollywood. Na cidade dos sonhos, cruzam-se as estrelas: o Benjie, 13 anos e já estrela; o pai, Sanford Weiss, escritor de sucesso e coach de celebridades; a cliente, a bela Havana Segrand, que ele ajuda a realizar-se como mulher e atriz. A capital do cinema também promete a felicidade na película e no papel àqueles que tentam atingir as estrelas: a Agatha, uma jovem que, mal chegou à cidade, se tornou assistente da Havana e o sedutor motorista de limusine com o qual se relaciona, o Jerome Fontana, que deseja ser célebre. Mas então, porque se diz que Hollywood é a cidade dos vícios e das nevroses, dos incestos e da inveja? A cidade dos sonhos faz ressurgir os fantasmas e promete sobretudo o desencadear das pulsões e o cheiro do sangue.

Na conferência de imprensa de ‘Maps to the Stars’, o realizador canadiano David Cronenberg respondeu às questões dos jornalistas de todo o mundo. A equipe do filme estava completa. As atrizes Julianne Moore, Sarah Gadon e Mia Wasikowska estavam ao lado do realizador. John Cuasck, Evan Bird e Robert Pattinson estavam igualmente presentes, bem como o roteirista Bruce Wagner e os produtores Martin Katz, Saïd Ben Saïd e Michel Merkt.

Julianne Moore sobre o argumento:O David Cronenberg é uma pessoa incrivelmente entusiasta. Enquanto atriz queremos conseguir agradá-lo. Relativamente ao argumento, direi que encontramos humor em tudo, este argumento era engraçado e ao mesmo tempo grave”.

John Cusack sublinhou: Este argumento era muito denso, foi um verdadeiro exercício de precisão para mim. Los Angeles é um ecossistema que me é familiar. Um local onde podemos conviver de perto com a avidez e o medo”.

Robert Pattinson sobre o realizador David Cronenberg: “Fiquei muito contente e entusiasmado por voltar a colaborar com ele”.

David Cronenberg expressou-se sobre as cenas explícitas do filme: “Uma vez mais, pessoas voltam efetivamente a fazer sexo dentro de um carro. Mas o sexo dentro de um carro é revelador de uma revolução sexual. Uma geração de americanos foi concebida na parte de trás de um carro. É uma forma de os jovens viverem intensamente, de se escaparem de casa”.

David Cronenberg sobre a visão de Hollywood expressa no filme: “Não se trata de um ataque a Hollywood. Há que ir ainda mais longe, a acção poderia passar-se em Wall Street, ou em qualquer lado em Washington. Trata-se também dos que lutam para ter sucesso e ganhar dinheiro”.

Confira algumas das reações da crítica, que até recebeu a produção de bom agrado.

The Guardian deu quatro estrelas:O novo filme de David Cronenberg é um emocionante e requintadamente horrível sobre a Hollywood contemporânea – positivamente vivencial em seu sadismo e desprezo”.

The Telegraph deu cinco estrelas:Sátira de David Cronenberg sobre ‘tornando-se’ em Hollywood não é apenas um pesadelo convincente, poderia conquistar a primeira palma de ouro do diretor”.

London Evening Standard: “Julianne Moore é excelente como Havana Segrand, uma estrela vencedora do Oscar (…)”.

THR: “Esta co-produção canadense-alemã parece forte, mas, no final, sai como uma brincadeira mais do que uma tomada coerente no século 21 de Hollywood, mesmo que haja migalhas da verdade e da inteligência espalhados por ele”.

A atuação de Moore despertou a atenção dos críticos, que dizem conseguir ver uma boa possibilidade para o Oscar 2015. Porém, a sua corrida seria mais facilitada se a sua futura candidatura for como Melhor Atriz Coadjuvante. É sabido nos bastidores que a Academia está devendo uma estatueta para Moore há um bom tempo.

“Map to the Stars” ainda não tem data de estreia.

Veja mais fotos do sexto dia do festival, abaixo:

21

Channing Tatum, Bennett Miller, Steve Carell e Mark Ruffalo – Foxcatcher © FDC / K. Vygrivach

22

Channing Tatum – Photocall – Foxcatcher © AFP / B. Langlois

23

Channing Tatum e Steve Carell – Foxcatcher © FDC / G. Lassus-Dessus

24

Mark Ruffalo, Channing Tatum, Bennett Miller e Steve Carell – Foxcatcher © FDC / C. Duchene

25

A equipe do filme Maps to the Stars © AFP / V. Hache

26

Mia Wasikowska e Julianne Moore – Maps to the Stars © FDC / M. Petit

28

Julianne Moore e Robert Pattinson – Maps to the Stars © AFP / L. Venance

30

Alice Braga no tapete vermelho de Foxcatcher © AFP / B. Langlois

31

A equipe do filme Foxcatcher no tapete vermelho © AFP / V. Hache

35

Robert Pattinson, Sarah Gadon e Mia Wasikowska – Maps to the Stars © AFP / V. Hache

34

Robert Pattinson, Julianne Moore e David Cronenberg – Maps to the Stars © AFP / B. Langlois

36

A equipe do filme Maps to the Stars no tapete vermelho © AFP / B. Langlois

Autor: Tags:

1 comentário | Comentar

  1. 51 Eduardo Pepe 20/05/2014 20:14

    Julianne Moore merece um Oscar desde 2002, quando ela fez “As Horas”. Seria ótimo que, dessa vez, ela leva-se!

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.